Autora: Tess Gerritsen| Editora: Atria Books| Ano: 1999

Imagine o terror que envolve qualquer população quando descobre-se uma nova epidemia. A frustrante busca desesperada por uma cura e as tentativas desenfreadas por uma saída. Agora, imagine este mesmo cenário quando a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS). Sem escape. A 380 km de altitude, cercado por nada. Sem para onde correr nem onde se esconder.

É esta a proposta de Gravity. Escrito por Tess Gerritsen – mais conhecida pela série que deu origem a Rizzoli & Isles – o livro retrata uma crise médica de proporções devastadoras que se torna ainda mais alarmante por se passar no espaço.

Doutora antes de se tornar escritora, não é surpreendente que os aspectos médicos sejam narrados com uma voz extremamente autêntica – mesmo quando tratando de eventos fictícios. O que realmente impressiona são os detalhes técnicos da missão, como o jargão usado pelos astronautas e pela equipe de chão e até mesmo a descrição das manobras – e do tempo necessário – para que o ônibus espacial consiga chegar à orbita da ISS e realizar a acoplagem. Qualquer pessoa que tenha estudado um pouco de Mecânica Orbital nota o cuidado colocado nestas cenas, ainda que tenhamos que aceitar as liberdades artísticas tomadas por Gerritsen em alguns momentos.

Mais interessante ainda é a maneira como a autora consegue mesclar o lado científico da obra com personagens realistas em sua diversidade, apesar de alguns clichês. Sim, nós temos a inglesa fria e calculista, o russo esquivo, o texano divertido e, é claro, a protagonista que chega a ser um pouco Mulher Maravilha demais para o meu gosto. Entretanto, de um modo geral, Gravity é um thriller – e apesar dos lugares comuns do gênero, funciona muito bem.

É um romance de suspense médico definitivamente emocionante e que se torna ainda melhor caso o leitor tenha um interesse específico em biologia ou astronáutica. A julgar pelo meu perfil – e pela foto que o acompanha – acho que não é difícil adivinhar o porque da nota final.

Rating: ★★★★½

OBS: Nós resenhamos o livro em inglês, mas ele tem publicação no Brasil pela Editora Record com o nome Gravidade. Está esperando o quê? Confere e conta pra gente o que achou!

 

Deixe um comentário